Síndrome dos Ovários Policísticos

ovários policísticos

Oi meninas!!!

Muitas mulheres são diagnosticadas com essa síndrome mas não sabem muito bem a respeito dela. Há alguns mitos de que a mulher não pode nunca engravidar e algumas delas usam dessa "desculpa" orgânica para não usarem outro método para prevenir uma gravidez.

Ovário policístico é um termo usado pela ultrassonografia para explicar a aparência dos ovários: poli=muitos e cístico=vários cistos, que são pequenas bolinhas com líquido dentro. Essas "bolinhas" na verdade são os folículos próprios do ovário.

O que é a Síndrome dos Ovários Policísticos?

A Síndrome dos Ovários Policísticos é uma doença endócrina, ou seja, é causada por alterações hormonais que causam alguns sintomas no corpo da mulher. No caso, há um aumento da produção da testosterona, isso mesmo, o hormônio masculino. Numa mulher normal, cada mês são estimulados vários folículos, mas apenas um irá se desenvolver o suficiente para ovular. Com o aumento da testosterona, vários folículos vão sendo formados, mas nenhum chega a amadurecer o bastante. Então o ovário vai se enchendo desses pequenos cistos (folículos imaturos) e recebe o nome de policístico. Lembrando que somente o ultrassom não é capaz de diagnosticar a síndrome. É necessário um exame físico detalhado e exames laboratoriais.

Quais os sintomas?

Não são todas a mulheres que apresentam sintomas, as vezes apresentam só um, às vezes vários sintomas interligados. Os mais comuns são:

Irregularidade menstrual: é uma das principais características da síndrome. Pode acontecer desde menstruações bem distantes uma da outra (oligomenorréia) até a falta completa da menstruação (amenorréia).

Obesidade: sabe-se que metade das mulheres com SOP se encontram acima do peso. A gordura abdominal e visceral (no interior dos órgãos abdominais) pode interferir no ciclo menstrual da mulher, predispor o diabetes, a resistência insulínica, alterar os hormônios masculinos além de aumentar o risco de doenças cardiovasculares.

Infertilidade: como ocorre uma redução significativa no número de ovulações, essas mulheres podem apresentar dificuldade para engravidar. Isso não quer dizer que não ovulem nunca, então algumas mulheres podem engravidar espontaneamente sim.

Hirsutismo: nome dado ao aparecimento de pêlos em locais onde normalmente não existem na mulher: face, tórax, glúteos, ao redor dos mamilos e região inferior do abdômen.

Acne: cerda de 30% das mulheres com SOP apresentam uma tendência à inflamação da pele causadas pela obstrução dos poros, fortemente ligada à testosterona alta. Os locais mais frequentes são a face, o colo e as costas.

Alopécia: é a queda exagerada dos cabelos na cabeça.

Seborréia: aumento da oleosidade da pele e couro cabeludo.

Acantosis nigricans: são manchas escuras que aparecem nas que aparecem em regiões de dobras, como pescoço e axilas, causadas pelo aumento dos hormônios masculinos (hiperandrogenismo).

Como se faz o diagnóstico da síndrome?

Como disse anteriormente, o diagnóstico não é feito somente através do ultrassom, pela aparência dos ovários. Você pode apresentar uma ultrassonografia normal e ser portadora da síndrome. O diagnóstico da SOP é feito quando dois de três fatores ou critérios estão presentes:

A. Hiperandrogenismo (elevação da testosterona do sangue): condidera-se tanto aspecto clínico, como manchas, acne e seborréia quanto o exame de sangue.

B. Alterações menstruais: oligomenorréia ou amenorréia.

C. Ovários de aspecto policístico ao exame de ultrassom.

Portanto, o diagnóstico da SOP pode ser A+B, A+C ou B+C. Concluímos que uma mulher que tenha a síndrome não necessariamente terá os ovários com aspecto micropolicístico (A+B)!!!

Aspecto de um ovário micropolicístico ao ultrassom.

Qual o tratamento?

O tratamento da síndrome envolve mudanças de estilo de vida e uso de medicações para corrigir a resistência à insulina e a infertilidade, para aquelas mulheres que desejam engravidar.

1. Exercício físico aeróbico, visando a perda de peso para reduzir a sensibilidade à insulina, reduzir  número de cistos ovariano e a concentração de testosterona no sangue, aumentando a fertilidade da mulher. Além de diminuir a depressão e aumentar a auto-estima!

2. Anticoncepcionais: indicado para as mulheres que não pretendem engravidar e apresentam acne, aumento de pêlos no corpo e irregularidade menstrual.

3. Metformina: para aquelas mulheres que não conseguem perder peso tão facilmente, pode-se recorrer ao tratamento farmacológico para reduzir a resistência à insulina, aumentar a fertilidade e reduzir o nível de testosterona no sangue.

4. Outras drogas dependendo exclusivamente da avaliação médica e dos sintomas da paciente.

Discussão

Depois de detalhar rapidamente a síndrome, percebemos que a SOP é uma doença mais complexa do que pensamos, pois pode estar presente em pacientes que menstruam regularmente, que não são obesas e também em pacientes sem manifestações clínicas pelo excesso de testosterona.

O tratamento pode envolver várias drogas, porém o principal objetivo é combater a resistência a insulina.

Procure o seu ginecologista e faça uma avaliação completa se você está tendo problemas para engravidar ou está tendo alterações menstruais.

Faça seu comentário, pergunta, ou deixe uma idéia para um novo post 🙂

3 cometários sobre “Síndrome dos Ovários Policísticos

    • Oi Luana! A grande maioria das meninas que fazem controle Ultrassonografico comigo se queixa de cólica no pé da barriga e/ou sangramento irregular. Vc já fez ultrassom? Quem não toma anticoncepcional pode ter os ovários crescidos e isso pode causar incômodo. 😘

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: