Ultrassom das Mamas

ultrassom das mamas

Oi meninas!

Já tinha algum tempo que eu queria colocar esse assunto no meu site e agora tive a oportunidade. Como todo exame, a ultrassonografia das mamas também gera muitas dúvidas e, por isso, gostaria de esclarecer algumas delas aqui.

Pra que serve o ultrassom das mamas?

O exame tem a finalidade de identificar e diferenciar os vários tipos de nódulos que foram  vistos ou pela mamografia ou pela palpação do seu ginecologista. Existem praticamente dois tipos de nódulos: os sólidos (como uma carne mesmo) e os císticos (contendo líquido em seu interior). A mamografia vê o nódulo mas não consegue diferenciar entre os dois tipos e algumas vezes o seu médico vai pedir que você complemente a mamografia com um ultrassom. Ultimamente o médico já pede para as pacientes fazerem os dois de uma só vez.

O ultrassom das mamas é útil para medir o nódulo e dizer o local preciso para se fazer uma biópsia, quando se colhe material do interior do nódulo para análise.

Exemplo de cisto simples à esquerda e nódulo sólido à direta.

Quem pode fazer o ultrassom?

Na verdade qualquer mulher pode fazer o exame. O mais importante é saber qual a indicação pra isso. Usualmente ele é pedido para mulheres jovens ou que apresentem as mamas densas, quer dizer, contendo muitas glândulas. Isso dificulta a mamografia de “enxergar” um possível nódulo. Outra indicação são as grávidas, pois não podem se expor à radiação (lembrando que a mamografia envolve raios X e o ultrassom, não).

Outra indicação são aquelas pacientes que têm dor nas mamas (mastalgia), mas não palpam nenhum nódulo.

Homens também podem fazer esse exame, acreditam? Apesar de muito raro, homens também podem desenvolver câncer nas mamas, mas a principal indicação é o aumento do volume das mamas, também chamada de ginecomastia.

Como é feito o exame?

O aparelho de ultrassom é o mesmo usado pra fazer exames abdominais ou obstétricos, o que muda é o tipo do transdutor (ou sonda) que encosta na pele. No caso do ultrassom das mamas, a sonda é pequena e tem a extremidade reta, também chamada de sonda linear.

A paciente é orientada a retirar a blusa e o sutiã e colocar uma veste ou camisola larguinha com abertura na frente para facilitar o exame. Deita-se então com a barriga pra cima e coloca-se os braços por trás da cabeça. O médico ultrassonografista aplica um gel geladinho à base d’água e analisa uma mama de cada vez, associando-se ou não o exame das axilas.

O exame necessita de uma pequena compressão das mamas pela sonda, mas não causa dor ou incômodo, a não ser que a paciente já apresente alguma sensibilidade ou esteja com algum processo inflamatório ou infeccioso.

Leia também:
* Exame endovaginal

O ultrassom é capaz de identificar um câncer?

O ultrassom é capaz de dizer se um nódulo tem alto risco de ser um câncer, mas o diagnóstico preciso só pode ser feito pelo patologista. Existe uma sistematização internacional dos nódulos chamada BIRADS (Breast Imaging Reporting and Data System) que é aplicada na ultrassonografia, mamografia e ressonância magnética das mamas. Ela classifica o nódulo de acordo com suas características e vai desde a categoria 0 (zero) até a 6 (câncer confirmado pelo patologista).

As categorias 1 eh o exame normal e a 2 são exames que apresentam alterações benignas, como os cistos simples, por exemplo. A categoria 3 já são nódulos provavelmente benignos, como o fibroadenoma, muito comum em pacientes jovens e é preciso acompanhá-los a cada 6 meses ou a cada ano, de acordo com sua evolução.  Na categoria 4 já será necessário fazer uma biópsia para tirar a “pulga atrás da orelha” e a 5, é quase certo, pelas características do nódulo, de se tratar de um câncer.

Posso substituir a mamografia pelo ultrassom?

Jamais, menina!!! Cada um desses exames tem a sua função específica e isso precisa ser respeitado. A mamografia é o exame de excelência para se detectar o câncer de mama, através de alguns sinais que podem não ser percebidos pelo ultrassom. Um exemplo são as famosas “microcalcificações agrupadas”, vistas como uma espécie de areia na chapa da mamografia, que podem indicar um câncer. A ultrassonografia não vê essas microcalcificações. Vê somente calcificações maiores, que são benignas.

Então, o melhor exame para fazer o rastreamento do câncer de mama é a mamografia. O ultrassom é usado como um “companheiro” e tem papel fundamental para definir qual o tipo de nódulo e em “enxergar” nódulos pequenos que nem sempre a mamografia detecta. Entendido? 🙂

Então, eu sei que a mamografia não é a melhor coisa do mundo.. mas fazer o que? Infelizmente a medicina não chegou nesse ponto. Uma vez por ano temos que nos submeter ao exame, certo? Nada de corpo mole!

Espero que tenham gostado e que eu tenha tirado algumas dúvidas 🙂

Beijinhos no coração! Deixe seu comentário ou dúvida registrados 🙂

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: