Síndrome de Burnout (Esgotamento)

burnout

Olá meninas!

Vou falar hoje de outro tema além da depressão que também acontece em algumas mulheres após o parto.

Significado do termo Burnout

O termo burnout significa “esgotamento” e se refere ao cansaço e tensão emocional crônicos que levam a um distúrbio psíquico que pode afetar qualquer profissional que trabalha exaustivamente ou mamães que acabam por ficarem sobrecarregadas com a chegada de um filho.

Desde quando sabemos que estamos grávidas tudo muda ao nosso redor. Começamos a idealizar aquele bebezinho que está crescendo dentro da gente, mas não fazemos idéia de como será quando ele nascer. Sabemos que será uma fase difícil, mas na realidade, realmente não sabemos muita coisa até atravessar essa ponte. Não saberia falar pra vocês qual a porcentagem de mamães que tiram de letra essa fase e não se esgotam…

Cansaço físico é uma coisa que todo mundo conhece. Quem nunca foi na academia e morreu de tanto andar na esteira ou não deu aquela faxina sozinha em casa? Isso é cansaço… você toma um banho relaxante seguido de uma boa noite de sono e pronto! Tudo volta ao normal. No esgotamento há uma falta total de energia física e mental em que tudo que você pensa durante o dia é quando conseguirá dormir uma noite inteira ou terá apenas 15 minutos só pra você e, com certeza, apenas um banho quente não vai resolver seu problema.

A mãe quer fazer tudo que sempre sonhou, claro! Cuidar daquele filho que já é tão amado, dar conta da arrumação da casa para receber as visitas, deixar a despensa cheia, dar ordens à cozinheira…. nossa…. simplesmente não dá pra somente uma pessoa fazer. A mãe precisa amamentar a cada três horas e dormir entre uma mamada e outra ou quando o bebê também dorme. Essa é a regra do sucesso… mas…. praticamente ninguém consegue fazer isso a não ser que tenha outra pessoa em casa ajudando em tempo integral.

Vamos discutir o assunto um pouco

Nem tudo que a gente quer fazer a gente consegue. No momento em que o bebê chega em casa tudo muda ao seu redor. As prioridades e demandas tomam uma outra trajetória e o bebê passa a ser o centro da atenção da casa e são as suas prioridades que devem ser satisfeitas. Nesse momento, muitas vezes, a mãe e suas demandas podem ser deixadas de lado, o que só aumenta a sensação de abandono e a culpa por achar que não está dando conta do recado. Tentar corresponder a uma expectativa que não existe e se cobrar mais do que devia não é nada legal.

Um problema físico e cientificamente comprovado que ajuda no desenvolvimento da síndrome de burnout é a privação do sono. O sono é parte fundamental para a conservação da nossa saúde mental. Durante o sono o cérebro organiza as informações acumuladas durante o dia e descarta as que não precisam, fazendo ligações para que memórias curtas se transformem em memórias a longo termo.

Durante o sono são liberados hormônios de saciedade (quem dorme pouco ou tem sono de má qualidade come mais durante o dia para compensar a falta desse hormônio), substancias que relaxam os músculos profundamente e a serotonina, o hormônio do nosso bem estar. Sua falta pode afetar profundamente o humor da pessoa e, a longo prazo, pode levar a quadros depressivos. Um sono de má qualidade também aumenta a produção de cortisol, responsável pela ansiedade, irritabilidade e aumentando a pressão sanguínea.

Uma boa noite de sono inclui três fatores principais:

1) Duração: Um adulto deve ter um período de sono entre 7 e 9 horas por dia para que o cérebro exerça suas funções plenamente e o corpo realmente descanse.

2) Profundidade: O sono leve não produz sensação de descanso. Só quando alcançamos o sono profundo é que temos a fase chamada restauradora que se inicia aproximadamente 1h30m após o início do sono. Durante o sono profundo é que o corpo é reparado e restaura os níveis de energia para enfrentar mais um dia. Essa fase ajuda a manter o seu corpo saudável, auxilia os músculos e ossos e fortalece o sistema imunológico.

3) Continuidade: Dormir sem interrupções para que o sono seja efetivo.  Uma noite de sono interrompido pode ser tão prejudicial fisicamente quanto não dormir de jeito nenhum.

Quando se tem um bebê recém-nascido em casa, que precisa mamar a cada 3 horas*, começamos a ter a chamada privação do sono profundo. No máximo começamos a entrar no sono profundo quando o despertador toca ou o bebê chora… Como lemos aí em cima, as mamães não conseguem ter aquilo que realmente necessitam: um sono que restaure o cérebro, os músculos e o humor. Apenas uma noite de sono privado não afeta a mente, claro, mas um mês, ou meses sem ter um sono profundo e duradouro, isso sim, causa um verdadeiro estrago psíquico na mente de qualquer um.

* Na prática você terá menos do que isso para descansar. Cada mamada demora em média meia hora e logo depois a gente costuma trocar a fralda do bebê e resolver alguma coisinha em casa. Até você conseguir deitar e pegar no sono demora uns 15 minutos. Então já passou 1 hora. Sobra menos de 2 horas pra você descansar e…. pronto, tão logo o sono profundo começa, você tem que levantar antes do horário previsto para a próxima mamada e se preparar…

Os principais sintomas da exaustão crônica

* Irritabilidade: seu pavio fica mais curto do que todos da casa e qualquer coisinha à toa pode te fazer explodir.
* Falta de interesse total em fazer o que fazia antes
* Não conseguir ficar perto de crianças chorando, inclusive do seu próprio bebê
* Pensamentos negativos constantes e baixa autoestima
* Você se culpa por não conseguir ser a mãe que você idealizava ser e acha que não está sendo o suficiente para o seu filho.

Como lidar melhor com essa fase

* Peça ajuda! Não precisa se achar durona e pensar que vai dar conta do recado sozinha. Se a sogra e a vizinha oferecerem ajuda, aceite. Nem que seja pra ficar com o bebê por umas 2 horas pra você poder tomar um banho despreocupada ou ir ao salão fazer as unhas.
* Não se sinta culpada por não conseguir fazer tudo. A gente não controla todas as coisas e não vai ser agora que isso vai mudar.
* Se seu parceiro não estiver ajudando, chame a atenção dele. É tanto obrigação dele quanto sua cuidar do bebê, dar banho, cortar as unhas e trocar fraldas. Se ele não quiser ou não tiver muito jeito com bebês, peça a ele que te ajude nas funções da casa como fazer compras, decidir o que fazer pro jantar e arrumar a casa. Essas são tarefas que não lhe cabem no momento.
* Vá dormir mais cedo à noite e durma sempre que o bebê dormir. Quando isso for possível, desligue o celular, e coloque um aviso na porta dizendo “mamãe e bebê dormindo”.
* Caso você já saiba que não terá muita ajuda de parentes, contrate uma babá antes do bebê nascer para não ter problemas futuros. Ficar sozinha e sobrecarregada é que não dá. Muitas vezes seu marido não vai poder ficar muito tempo sem trabalhar e você se verá sozinha.
* Aprenda a dizer NÃO! Você tem todo o direito de não querer sua casa cheia de visitas ou que certa pessoa troque a fralda do bebê, sei lá! Não há regras. O que você não estiver se sentindo a vontade em fazer, não faça. Todos vão ter que entender.
* Caso nada esteja melhorando, procure ajuda médica!

Espero ter ajudado! Se ainda tiver dúvida ou quiser fazer um comentário, escreva aí em baixo 🙂

2 cometários sobre “Síndrome de Burnout (Esgotamento)

  1. E como se faz com 2 crianças? Uma de 3anos e outra de 5 meses em casa o dia todo com TD para fazer? Tem como não ficar maluca?

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: