Morfológico do Primeiro Trimestre


Oi gravidinhas!

A notícia de uma gravidez é um dos momentos mais felizes e esperados por muitos casais. Projeta-se no bebê todas a idealizações, sonhos e desejos, mas também gera muita ansiedade para a futura mamãe, principalmente quando as coisas não evoluem como planejado durante o pré-natal.

Na gravidez com menos de 11 semanas, praticamente se avalia a idade da gestação e a presença de batimento do coração, mas ainda é cedo para se fazer qualquer diagnóstico, pois estamos diante de bebê ainda em formação. Até a pouco tempo se pensava que o exame da “nuquinha” ou Translucência Nucal, realizado por volta da 12ª semana de gestação, servia somente para rastrear se o bebê tinha um risco aumentado de ter a Síndrome de Down. Os novos estudos apontam que nesta fase deveria ser feito um exame bem mais completo, o morfológico de primeiro trimestre. Este exame contém vários sinais dos quais se podem identificar até 50% das malformações que um bebê pode ter durante a sua vida dentro do útero. O diagnóstico de algum a malformação no primeiro trimestre, oferece ao obstetra a oportunidade de mudar o rumo da história deste bebê.

Em Abril de 2019, estive em São Paulo participando do Simpósio Internacional da ISUOG (Sociedade Internacional de Ultrassom em Ginecologia e Obstetrícia) e um dos temas mais importante ao meu ver foi exatamente este: precisamos mudar o conceito de que ver o osso nasal e medir a “nuquinha” é o suficiente. E não é! O exame realizado por ultrassonografistas capacitados em aparelhos modernos de ultrassom, não se limita somente em medir o comprimento fetal, TN e osso nasal, e sim, em avaliar a morfologia cerebral, cardíaca, os membros superiores e inferiores, órgãos abdominais e vasos sanguíneos (estudo Doppler) da mãe e do bebê. Esta avaliação completa revela se já existe alguma alteração no feto ou se há algum risco aumentado de o feto apresentar, além da síndrome de Down, outras síndromes mais raras, malformações cardíacas e doenças genéticas.

Como exemplo, gostaria de citar a Espinha Bífida Aberta (mielomeningocele), uma malformação da coluna vertebral. As sequelas dessa doença são extremamente graves e afetam não só a vida da criança como de seus familiares. Dependendo do grau da doença, a criança pode nunca conseguir andar, falar ou ir ao banheiro. Estudos atuais indicam que a cirurgia realizada a tempo, ainda dentro do útero, pode reduzir essas sequelas, permitindo que algumas crianças possam ter vidas relativamente normais. Para que haja tempo hábil, é necessário um diagnóstico precoce através desse exame avançado de ultrassom.

Mais uma vez eu afirmo: a medida da “nuquinha” não é o suficiente! Precisamos mudar este conceito. Não deixe de questionar o seu obstetra sobre a importância do ultrassom morfológico de primeiro trimestre.

Principais marcadores do exame morfológico nesta fase.

Osso nasal

Foi Langdon Down (1866) quem primeiro descreveu a associação entre osso nasal ausente ou hipoplásico (pequenininho) e a Síndrome de Down. Ele viu que alguns fetos entre 11 e 13 semanas e 6 dias apresentavam um atraso na calcificação ou hipoplasia do osso nasal. Isso pode ocorrer em até 3% dos bebês normais e em até 70% dos bebês com alguma síndrome. O osso nasal deve ser visibilizado na época da Translucência Nucal e medido no exame Morfológico de Segundo Trimestre.

segundo trimestre

Osso Nasal (NB)

Ducto Venoso

O ducto venoso é uma pequena comunicação entre a veia umbilical e a veia cava inferior do bebê, e reflete o que está acontecendo com o coração. Ele também avalia o risco de anomalias como a TN. Em sua avaliação durante o exame de ultrassom, obtêm-se ondas de fluxo neste pequeno vasinho. Sua alteração pode indiciar algum defeito cardíaco ou síndromes genéticas no feto. Da mesma forma, isso pode ocorrer em até 3% dos bebês normais e em até 70% dos bebês com alguma síndrome. Quando associada à TN, pode diagnosticar 90-95% dos fetos alterados com um falso-positivo de 3%.

Regurgitação da válvula tricúspide

A válvula tricúspide está presente no lado direito do coração fetal, entre o átrio e o ventrículo. Num coração normal espera-se que não haja regurgitação do sangue, ou seja, o retorno do sangue no sentido oposto ao fluxo. Se um feto apresenta a TN aumentada, deve-se ver a função cardíaca através desse exame. Um exame que apresenta regurgitação do sangue associado a uma TN alterada, aumenta ainda mais as chances de um feto ter uma síndrome genética.

Ângulo frontomaxilo-facial (ângulo facial)

O ângulo formado entre o osso maxilar e o osso frontal (da testa) é maior nos fetos com síndromes quando comparados a fetos cromossomicamente normais. Num feto normal, o ângulo deve estar entre 84 e 95 graus.

Translucência Intracraniana

Um pequeno espaço da parte mais posterior do cérebro, chamada “quarto ventrículo”. Ele está situado entre a borda posterior do tronco cerebral e a borda anterior do plexo coróide. Se alterada, pode prever com muita antecedência se o feto terá espinha bífida, um defeito do fechamento da coluna vertebral.

Translucência Intracraniana normal.

Dentre os exames de imagem, o morfológico de primeiro trimestre é o mais completo que existe nos dias de hoje para rastreamento de anomalias cromossômicas e defeitos do coração e coluna vertebral. O seu obstetra, se preferir, também pode pedir que se faça a Translucência Nucal com Doppler, que inclui o estudo do Ducto Venoso e das artérias uterinas maternas.

Fonte das fotos: Fetal Medicine Foundation e Scielo.

Faça seu comentário, pergunta, ou deixe uma idéia para um novo post 🙂

2 cometários sobre “Morfológico do Primeiro Trimestre

  1. Olá, fiz a 1ª morfológica com 13semanas e 2ª morfológica com 22 semanas. Na 1ª o dr disse que estava tudo bem. a TN deu 1.70 e o osso nasal estava normal. Porém na 2ª ele disse o osso nasal estava apenas com 4mm, sendo que o normal é no mínimo 5mm. Me desesperei quando disse que isso era característica de alguma síndrome. alguém me ajude por favor.

    • Ola, Mara!
      Esta acontecendo isso comigo, mas um pouco pior, pois segundo o medico não foi visualizado o osso nasal na morfológica de 2º trimestre…. O seu bebe nasceu sem nenhuma síndrome?

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: